• Português

Investigação

Neste ciclo de estudos, as teses de doutoramento são desenvolvidas à luz do modelo cognitivo comportamental, focando-se na compreensão das perturbações comportamentais, cognitivas e emocionais e sua avaliação, prevenção e tratamento, com recurso a modelos e métodos cognitivos, comportamentais, emocionais e psicofisiológicos.

A investigação neste âmbito realiza-se contemplando os mais recentes desenvolvimentos decorrentes deste paradigma clínico quer ao nível teórico, quer ao nível da sua utilização enquanto guia orientador para as intervenções clínicas mediadas pela tecnologia (e.g., intervenções online, realidade virtual). Para viabilizar esta estratégia de investigação, o corpo docente está já integrado em redes de investigação nacionais e internacionais (e.g., COST Actions) e os trabalhos de investigação poderão ser desenvolvidos no âmbito de projetos financiados ou colaborações com equipas internacionais.

A equipa docente responsável pela orientação de teses tem vasta experiência de publicação em revistas internacionais com alto impacto, como se pode verificar pela forte produção científica em revistas indexadas de elevado impacto, mas também pela participação em projetos de investigação financiados e também pela presença nos corpos editorias em posições de destaque (e.g., Associate Editor, Deputy Editor in Chief) de revistas científicas de forte impacto (e.g., Frontiers in Psychology in Clinical Settings, Sexual Medicine)

Para garantir que se encontram as melhores condições para investigação, há acesso aos recursos do centro de investigação associado à EPVC e à FPED o HEI- Lab (https://hei-lab.ulusofona.pt/). Este centro I&D multidisciplinar, cuja missão assenta na convergência do conhecimento derivado da Psicologia, Design e dos Videogames para estudar o comportamento humano, organiza-se em torno da interação das pessoas com os meios tecnológicos, constituindo-se como uma plataforma ideal para apoiar e ancorar os estudos desenvolvidos no âmbito do doutoramento.

É nesta matriz de suporte à investigação que se entrecruzam a investigação clínica aplicada ancorada na teoria, a integração dos novos desenvolvimentos tecnológicos, um corpo docente internacional e internacionalizado, um centro financiado com recursos privilegiados para a investigação na área das novas tecnologias e com recurso a metodologias complexas de recolha e análise de dados (por exemplo, oculometria).

Neste modelo, podem ancorar-se estudos que visam o desenvolvimento e aprofundamento teórico assim a utilização da realidade virtual, das aplicações informáticas e do ambiente da internet para efeitos de avaliação e intervenção clínica em diferentes quadros clínicos (por exemplo, depressão, disfunções sexuais) assim como na promoção do ajustamento emocional em populações em risco (por exemplo, crianças ou famílias em contextos de adversidade, jovens institucionalizados), na reabilitação cognitiva (por exemplo, no contexto de demências) ou no combate ao estigma em saúde mental seguindo os mais recente desenvolvimentos teóricos e de aplicação do modelo cognitivo-comportamental.